Despesas de Janeiro: Como evitar o sufoco e não ficar no Vermelho

As despesas de janeiro podem assustar as pessoas que não se planejam para iniciar o ano. Normalmente, a situação se repete com as contas do final do ano anterior, das festas natalinas e das contas do IPVA, IPTU e lista de material escolar.

Sabemos que essas situações geram dificuldades, por outro lado com o planejamento certo, organização e determinação certa, é possível começar bem o ano com as contas no azul.

Mas, para atingir esse objetivo, é fundamental conhecer a sua real situação financeira, quais são as dívidas mais altas e partir para a renegociação com os credores.

Antecipar os pagamentos do início do ano também pode ser uma dica para evitar os juros e cobranças indevidas.

As despesas de janeiro

Na virada do ano, entre o dia 31 de dezembro para 1° janeiro, o anseio de todo brasileiro é de começar um novo ano com muita sorte. Porém, o objetivo pode virar em sofrimento para as famílias que não se planejam financeiramente.

O mês de janeiro não costuma ser um mês fácil para as pessoas. Ter a capacidade de sobreviver no início do ano será fundamental para enfrentar os próximos meses sem sobressaltos na conta bancária.

Atenção aos gastos

Sabemos que no início do ano, há quatro tipos de gastos que costumam defasar o orçamento em janeiro.

  1. Despesas com a volta às aulas (matrícula e material escolar);
  2. Impostos como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU);
  3. Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA);
  4. Fatura do cartão de crédito referente à dezembro, quando são debitados.

Planejamento

O indicado é saber planejar o Ano Novo ainda em dezembro e, se possível, guardar parte do 13° salário para as contas de janeiro do ano seguinte.

Mesmo assim, caso já tenha passado o ano novo é possível ainda planejar pensando no primeiro trimestre do ano. O importante, é estabelecer um padrão de receita.

Nos dias atuais, aplicativos gratuitos possibilitam controlar despesa diária. Algumas vezes só de visualizar a estrutura de despesa e receita a pessoa corta gastos.

Cálculo de impostos

No caso dos impostos, é indicado pagar antecipadamente e aproveitar os descontos. O indivíduo que tiver condições a fazer uma simulação de financiamento para pagamento dos impostos.

Em certos casos, caso o desconto no pagamento à vista for maior que a taxa do financiamento, vale à pena realizar o procedimento dessa forma.

A seguir daremos algumas dicas para conseguir sair do vermelho e se organizar financeiramente no início do ano.

Conheça sua situação de dívidas

Inicialmente, é fundamental conhecer a real situação das suas finanças e das suas dívidas. Isso ajuda a sair do vermelho e a reorganizar as contas.

É importante colocar no papel o cálculo do quanto você está devendo, há quanto tempo e para quem. Inclua os pequenos débitos e até mesmo dívidas antigas que correm com juros.

Analise o orçamento financeiro pessoal

É importante fazer uma análise completa do seu orçamento financeiro pessoal. Depois de listar e calcular as dívidas, é importante ter tempo para uma análise do orçamento financeiro pessoal para traçar um plano a fim de quitar as pendências.

Posteriormente, faça uma lista com as receitas que recebe, como salário, aluguel, dinheiro extra, entre outros.

Depois, insira no papel as despesas fixas, como aluguel, condomínio e contas de água, luz e outras contas.

No final, faça uma lista de gastos variáveis, como restaurante, compras, cuidados pessoais e medicamentos. A partir dessas informações, você tem a possibilidade de descobrir onde é possível cortar gastos para quitar as dívidas existentes.

Ferramentas certas

Atualmente, existem aplicativos para computador e celular que ajudam a reorganizar as contas do mês a mês. Essas ferramentas que podem te ajudar a colocar suas contas em dia.

Dê prioridade às dívidas mais altas

Nos cálculos dos débitos, é importante ter atenção com as dívidas de cheque especial e rotativo do cartão de crédito cobram alguns dos juros mais altos do mercado.

É muito importante dar prioridade a elas na hora de renegociar com os credores, a fim de evitar o famoso efeito bola de neve.

Troque dívidas

Na prática, pense em trocar uma dívida alta por uma com juros mais baixos.

Mas, caso não tenha ainda os valores suficientes para quitar dívidas altas, como cartão de crédito e cheque especial, considere trocá-las por modelos que cobrem juros mais baixos.

Pense em empréstimo consignado ou crédito pessoal. Nesses casos, uma dívida no cartão de crédito, por exemplo, pode cobrar juros de 18% ao mês, enquanto o crédito pessoal tem uma taxa de 10% ao mês. Muitas vezes vale a pena calcular e trocar a dívida.

Renegocie dívidas

Procure renegociar os débitos com os credores. Quando você já sabe o quanto deve, é importante buscar renegociar as dívidas com os credores. Antes mesmo de entrar em contato com as empresas, prepare uma proposta de pagamento de acordo com as suas possibilidades financeiras.

Saiba que a negociação é positiva para os dois lados, afinal, tudo o que credor quer é receber. Quando o devedor pode pagar a dívida à vista com a venda de algum ativo, ele pode negociar um bom desconto.

Evite novas dívidas

Principalmente, no início do ano evite novas dívidas. Reorganize-se para evitar novas dívidas. Sabemos que fazer uma boa negociação não é tudo. Mesmo considerando as despesas de janeiro, para a pessoa ter uma vida financeira saudável, é preciso mudar hábitos e rever sua relação com o dinheiro para evitar entrar no vermelho.

Corte gastos

No dia a dia, é fundamental saber cortar gastos desnecessários, como assinatura de revistas que nunca lê ou mensalidade de academia que nunca frequenta.

Evite parcelamentos

No início do ano, evite parcelar demais as contas e as compras no cartão. É importante ter atenção especial às compras parceladas. Dividir o valor em várias vezes passa a falsa ideia de que a aquisição não comprometerá o orçamento.

Em relação às cobranças, fique atento aos juros que muitas vezes estão embutidos no valor das parcelas. A melhor prática é sempre juntar dinheiro para comprar o bem ou contratar o serviço que pretende adquirir.